Justiça eleitoral lança aplicativo para combater corrupção nas eleições

Ferramenta, denominada de Pardal, pode ser baixada via web

Ferramenta, denominada de Pardal, pode ser baixada via web

Um aplicativo, denominado de Pardal, lançado nesta terça-feira (15) pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) promete ser uma importante ferramenta no combate à corrupção, propaganda irregular entre outras ilegalidades no processo eleitoral.

O aplicativo receberá as denúncias via smartphones, com sistema operacional android, e pela web, em tempo real.

O Pardal já está disponível ao público e pode ser baixado gratuitamente na loja virtual Play Store para smartphones do sistema android ou diretamente no site: http://www.tre-mt.jus.br, no banner Pardal. No primeiro caso, para a busca do aplicativo o cidadão pode digitar “TRE-MT”.

Com a nova ferramenta, qualquer cidadão que se deparar com a prática de propaganda eleitoral irregular ou outras formas de corrupção eleitoral poderá registrar o ilícito por meio de fotografia do próprio smartphone e encaminhar a denúncia a Justiça Eleitoral. A versão para Android permite o registro de imagens e a web permite o registro de imagens, vídeos e textos.

Todas as denúncias, anônimas ou não, serão recebidas pela Ouvidoria Eleitoral do Estado de Mato Grosso, que encaminhará os conteúdos recebidos aos Juízos competentes, para a realização das diligências e/ou apurações das responsabilidades devidas.

À frente

Mato Grosso é o segundo Estado brasileiro a dispor da ferramenta que foi desenvolvido pelo setor de Tecnologia da Informação do TRE do Espírito Santo e utilizado nas eleições municipais de 2012. O aplicativo recebeu melhorias pela equipe técnica do TRE-MT, com a otimização de seus recursos, que posteriormente será repassada ao TRE-ES. O Tribunal Superior Eleitoral deverá adotar o aplicativo como ferramenta corporativa a ser utilizada em âmbito nacional.

Nesta manhã, durante a coletiva de lançamento do aplicativo, o presidente do Tribunal, desembargador Juvenal Pereira da Silva explicou que a atual gestão busca com a utilização do Pardal, garantir a transparência de seus trabalhos e ações e permitir à sociedade o exercício dos direitos pertinentes à cidadania.

“Temos a necessidade de aprimorar instrumentos de controle do processo eleitoral, com meios eficazes e ágeis de combate à corrupção eleitoral, salvaguardando a legitimidade das eleições e a igualdade na disputa dos cargos eletivos. Queremos que a sociedade utilize deste instrumento de recebimento de denúncias com responsabilidade, para que possamos assegurar uma eleição transparente, limpa e que haja isonomia entre as partes concorrentes”.

A corregedora Regional Eleitoral, Maria Helena Póvoas, ressaltou que a Justiça Eleitoral não ira tolerar o uso do aplicativo para manobras políticas. “Os magistrados, por experiência de vida e de magistratura sabem das manobras que acontecem entre os candidatos para tentar burlar a fiscalização da Justiça Eleitoral. Neste pleito, o Tribunal e Zonas Eleitorais estão dotados e aparelhados de estrutura para verificar, imediatamente, as situações irregulares. Também contamos com a parceria da Polícia Federal para apurar a veracidade dos conteúdos enviados pelos denunciantes”.

Por fim, o presidente do Tribunal, explicou que todo o cidadão que utilizar-se do Pardal para prejudicar ou denegrir algum candidato, por meio de envio de provas inverídicas, será responsabilizado. “Hoje, Mato Grosso possui mais de dois milhões de eleitores, os quais podem ajudar a Justiça Eleitoral na fiscalização e combate a propaganda eleitoral irregular”. (Midia News)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s